Esqueci minha senha cadastre-se

Clínica de Psicologia Infantil Gravataí, Rio Grande do Sul

Encontre Clínicas de Psicologia Infantil de Gravataí. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região,aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Clinica Multidiciplinar Penteado Ltda
(51) 3488-6386
r Luiz Bastos do Prado,Dr, 1505, Sl 20, Centro
Gravataí, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Espaço Terapêutico Cristina Hartung e Anelise Ramos
(51) 3423-5580
av Dorival Cândido Luz de Oliveira, 3782, Cohab A
Gravataí, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Carla Broecker
(51) 3488-8762
r José Costa de Medeiros 1852 s 102, Centro
Gravataí, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Clínica Conviver Psicologia e Relações Humanas
(51) 3042-2105
av José Loureiro da Silva 1600 sl 106, Centro
Gravataí, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Cleusa Maria Cabral Ceolim
(51) 3485-5097
estr Cocao 370, Centro
Viamão, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Dm - Consultoria Em Desenvolvimento de Pessoas e Organizacoes Ltda
(51) 3043-3640
r Fonseca,Cel, 350, Cj 301, Centro
Gravataí, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Clínica Conviver Psicologia
(51) 8196-2329
av José Loureiro da Silva, 1600 Sala 610
Gravataí, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Caepsy Centro de Atendimento e Estudos em Psicologia Ltda
(51) 3484-3593
av José Loureiro Silva, 1875, Centro
Gravataí, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Jung, Gerson P
(51) 3488-4108
r Anápio Gomes, 1150, Centro
Gravataí, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Marize Ribeiro Pisoni
(51) 3485-1050
r Voluntários da Pátria 283, Tarumã
Viamão, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica de Psicologia Infantil

Fornecido por: 

É na adolescência que as mulheres e os homens passam por um conjunto de alterações físicas e emocionais que não podem ser encaradas, apenas, como uma simples adaptação  às transformações corporais.

Algumas mudanças como o crescimento dos pêlos pubianos e os ciclos menstruais desregulados são comuns nessa fase para a menina.

De todas as reflexões e estudos sobre infância e adolescência, se alguma coisa pode ser mais ou menos consensual é que, crescentemente, as crianças estão mais sozinhas ou mais na convivência com seus pares da rua do que no âmbito familiar. O pai, a mãe, ou qualquer outra figura de ligação familiar está se tornando rarefeita.

É consensual que a idade em que uma menina atinge a puberdade é bastante variável e influenciada por fatores pessoais e ambientais.

Há muitas tentativas de se definir adolescência, embora nem todas as sociedades possuam este conceito. Cada cultura possui um conceito de adolescência, baseando-se sempre nas diferentes idades para definir este período. No Brasil o Estatuto da Criança e do Adolescente define esta fase como característica dos 13 aos 18 anos de idade.

A puberdade tem um aspecto biológico e universal, caracterizada que é pelas modificações visíveis, como por exemplo, o crescimento de pêlos pubianos, auxiliares ou torácicos, o aumento da massa corporal, desenvolvimento das mamas, evolução do pênis, menstruação, etc. Estas mudanças físicas costumam caracterizar a puberdade, que neste caso seria um ato biológico ou da natureza.

Crianças e adolescentes já não são mais os mesmos. Eles participam avidamente do mundo dos adultos e se transformam nos novos convidados da realidade orgástica do consumo e dos prazeres.

Em 1840 a idade média da menarca (primeira menstruação) rondava os 16-17 anos, idade claramente coincidente com o momento da incorporação da adolescente na vida adulta, na responsabilidade do matrimonio e da procriação.

Paradoxalmente, hoje em dia, nenhuma família se sentiria à vontade se a filha de 16 anos assumisse responsabilidades matrimoniais, mas não obstante, comumente aceita-se que participe plenamente (ou quase) das liberdades sexuais do mundo moderno. Hoje a sociedade espera que a jovem de 16 anos estude, se forme e encontre seu papel na sociedade. Entretanto, atualmente a média da menarca se situa em torno dos 12.8 anos.

A adolescência não é marcada apenas por dificuldades, crises, mal-estares, angústias. Ao se abandonar a atitude infantil e ingressar no mundo adulto, há uma série de acréscimos no rendimento psíquico. O intelecto, por exemplo, apresenta maior eficácia, rapidez e elaborações mais complexas, a atenção pode se apresentar com aumento da concentração e melhor seleção de informações.

No menino, as transformações começam um pouco mais tarde, por volta de 13 anos e são muito mais demoradas que nas meninas. Os primeiros sinais dessa transformação são, basicamente, o aumento no tamanho dos órgãos genitais, o nasci...

Clique aqui para ler este artigo em Cada Dia e Você